Home » FAQs - HIPNOSE E REGRESSÃO

FAQs - HIPNOSE E REGRESSÃO

HIPNOSE CLÍNICA

HIPNOSE CLÍNICA - ELISABETE SOUSA

Ao longo da história a hipnose sempre causou no público em geral um misto de curiosidade e fascínio em simultâneo com muitos medos e fantasmas. A hipnose mais conhecida do público - a hipnose de palco - e a hipnose clínica utilizada em contexto terapêutico são realidades profundamente distintas.

Em primeiro lugar ninguém hipnotiza ninguém. Toda a hipnose é auto-hipnose, porque é sempre a pessoa que se permite, ou não, a entrar neste estado modificado de consciência. Cerca de 90% das pessoas na população em geral conseguem entrar neste estado, o que é um número bastante significativo!!

 

Questões que me colocam frequentemente sobre a hipnose:

 

O que se sente quando se está hipnotizado?
A maioria das pessoas refere que sente uma óptima sensação de relaxamento físico e mental. De facto, a hipnose pode comparar-se à sensação de sonolência que temos no período de tempo que passamos quotidianamente entre o estado de vigília e o sono ou sempre que realizamos uma actividade em que estejamos muito concentrados como por exemplo a ler um livro interessante ou a ver um filme onde ficamos de tal forma absorvidos que nos alheamos um pouco do que se passa à nossa volta e perdemos a noção do tempo que passou. Estas são experiências de hipnose natural que nos acontecem todos os dias!

 

Perco a consciência quando estou hipnotizado?
NÃO! A pessoa em está sempre consciente de tudo o que se está a passar. Pode analisar e mesmo rejeitar qualquer sugestão que lhe seja feita. Ninguém o pode hipnotizar contra a sua vontade, nem o forçar a dizer ou fazer algo que não queira porque a sua mente tem mecanismos de defesa que continuam a actuar. 

 

Posso não acordar?
NÃO! Na pior das hipóteses, em que por algum motivo o hipnoterapeuta não despertasse a pessoa, esta entraria em sono normal e depois despertaria espontaneamente tal como fazemos todos os dias. Mas o mais provável é que passados alguns minutos se levantasse e fosse embora, porque sendo a hipnose, sempre uma auto-hipnose a pessoa detém todo o poder e auto-controle para determinar quando entra e quando sai deste estado!

 

A hipnoterapia pode ser perigosa?
Não, desde que praticada por alguém devidamente qualificado e aplicada em perturbações psicológicas para as quais esta metodologia terapêutica esteja indicada.

 

 

 

 

 

TERAPIA DE REGRESSÃO

TERAPIA DE REGRESSÃO - ELISABETE SOUSA

 

Em que consiste a terapia de regressão?

A terapia de regressão baseia-se num princípio aceite sem grande controversa na psicologia de que a maioria dos problemas psicológicos e psicossomáticos tem as suas causas no passado. Descobrir, reviver e compreender essas causas pode produzir uma completa libertação dos sintomas ou pelo menos, melhoras significativas e duradouras.


Muitos problemas do passado são causados por experiências traumáticas que podem ter sido esquecidas pela pessoa, mas que ficam no seu inconsciente. Assim, as experiências passadas que não foram compreendidas e assimiladas, ficam reprimidas no inconsciente e podem ser reactivadas, a qualquer momento, por experiências semelhantes que as reavivam, provocando o surgimento de sintomas psicológicos ou psicossomáticos.


Por vezes, a pessoa é capaz de identificar facilmente o momento do passado que está na origem dos sintomas do presente, contudo, a compreensão meramente intelectual não é suficiente para a resolução do problema, é necessário uma compreensão mais profunda e emocional que conduza à completa libertação das emoções relacionadas com essa recordação.

 

um trabalho que realizo com muita frequência com a hipnoterapia é o TRABALHO COM A CRIANÇA INTERIOR. Esta simboliza o nosso "EU" mais profundo e verdadeiro, as nossas feridas que precisam ser tratadas de forma a que o adulto possa libertar-se das amarras do passado, dos traumas e padrões automáticos patologicos que o impedem de caminhar para o futuro como dono da sua vida e realizando o seu verdadeiro potencial.

 

 

ELISABETE SOUSA

Consultório: Av. da República, nº 83, 5º 1050 - 243 Lisboa (Em frente à praça do Campo Pequeno)